Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Equitação é realmente anti stress. Mas dá cabo do lombo a um gajo...

15.03.15publicado por Gato Pardo

A equitação é um mundo extraordinário.

Não só porque os cavalos são animais extraordinários mas também porque é extraordinária a quantidade de adubo que eles conseguem produzir em tão pouco tempo.

Uns tempos atrás sugeriram-me a equitação como medida anti stress para a minha vida. Ainda perguntei se me estavam a sugerir fumar cavalo mas não. Ao que parece, não era um retrocesso aos meus loucos anos 90, mas sim aprender a montar. Cheguei à conclusão que levando em conta que a morte é algo inevitável, ser espezinhado por um animal de olhar dócil de 400kg é substancialmente melhor do que ser esfaqueado com um alfinete de peito por uma sósia da Margarida Rebelo Pinto com problemas psicológicos graves. E assim foi tomada a decisão.

A primeira aventura foi a compra do equipamento.

Primeira paragem. Toc. Ok, é um capacete mas a malta gosta de nomes pomposos. Nada de extraordinário, não tivesse eu de enfiar uma farta trunfa dentro daquilo. Segunda paragem. Calças. Ok, são umas calças. JUSTAS. MUITO JUSTAS, PORRA! Deixem-me colocar a coisa desta forma. Não há forma humanamente possível de um homem ter uma erecção dentro de umas calças daquelas. Mais facilmente a Sónia Brazão explode com o planeta sem recurso a bicos do fogão. Vestir umas calças daquelas é o mais próximo de uma experiência de auto asfixia erótica local (sim, mais localizada é impossível...). Terceira paragem. Botas. São botas, basicamente isso. Desenhadas para o Dia do Juízo Final, para suster todo o tipo de agressões possíveis e imaginárias entre as quais, pisar enormes poias capazes de rivalizar em tamanho com o Wilson do Cast Away (vão ver a porra do filme, seus incultos...). Done. Depois de devidamente aperaltado, já me sentia a Sónia Matias cá do sítio (infelizmente o meu cabelo comprido não me permite dizer o Joaquim Bastinhas. Embora a Sónia seja loura e eu seja moreno).

E ontem foi dia de primeira aula. Ilações a retirar?

 Dor. Uma imensa e localizada dor nas costas devido a uma péssima postura, equilíbrio inconstante (pode ter sido da garrafa de tinto alentejano que marchou ao almoço, nunca se sabe. Já sabe, se vai conduzir um cavalo, não beba...) e a morte de milhões de espermatozóides por esmagamento constante dos testículos com uma sacana de uma sela enquanto o animal andava a trote feliz da vida.

Queixam-se das dores após uma sessão de ginásio?

Das pernocas após maratonas de não sei quantos kms?

Venham fazer equitação que depois a gente fala...

Só para encerrar este post, a banda sonora de volta a casa foi o "F*ck the pain away" da Peaches. Mais adequado que isto, foi impossível.

5 comentários

Comentar este post